BUDAPESTE

Budapeste testemunhou uma grande mudança no mercado de drogas desde 2009: o consumo de heroína diminuiu até quase 0%, ao mesmo tempo que as pessoas consomem mais novas substâncias psicoativas e estimulantes sintéticos, oriundos da China e da Índia. Estas drogas são injetadas mais frequentemente, entre 10 a 15 vezes por dia. Milhares de utilizadores de drogas (muitos deles de etnia Cigana) vivem em bairros de lata, sem acesso a serviços de saúde e tendem a injetar-se em locais isolados, parques ou edifícios abandonados. As seringas usadas são uma causa da consternação da população e o facto de serem partilhadas entre os utilizadores de drogas leva a um elevado número de infeções. Entre 2011 e 2014 a taxa de infeções devido ao vírus da Hepatite C quase duplicou entre utilizadores de drogas.

Infelizmente, os decisores políticos locais não foram capazes de identificar as raízes do problema e culparam os programas de troca de seringas pelo aumento do consumo; como resultado, dois desses programas foram encerrados no ano passado. A solução não passa pelo encerramento dos serviços de saúde que apoiam a população, antes pelo apoio ao seu trabalho, de forma a poderem criar um local seguro e higiénico onde os utilizadores de drogas se podem deslocar, ao invés de se injetarem em locais públicos. Budapeste necessita de uma estratégia de drogas baseada na prevenção, tratamento, redução de riscos e aplicação da lei; necessita também de um coordenador e de disponibilizar fundos para implementar esta estratégia. Por favor, ajude-nos a mudar as políticas de droga. Assine a nossa petição!
Para mais informação relativamente à situação que se vive na Hungria, por favor assista ao vídeo realizado pelo Drugreporter. https://www.youtube.com/watch?v=CfzcKHBz_kM

Petição

Se apoia a nossa campanha para tornar as nossas cidades mais seguras, por favor assine a nossa petição!